Ocorreu um erro neste gadget
clique e alimente os peixes

E chegou o Abril...



































Espaços públicos: obras expostas no 59º Salão de Abril (Foto: Patrícia Araújo)

















Depois de alguns atrasos e adiamentos, a 59ª edição do Salão de Abril, finalmente, vê a luz de Fortaleza e ocupa diversos espaços da cidadeDemorou. Foram cerca de seis meses de atrasos e adiamentos. Mas a esperança é a última que morre e o 59º Salão de Abril, finalmente, vai acontecer. Para quem já estava duvidando de que um dos maiores eventos de artes visuais do Estado fosse mesmo realizado esse ano, a programação já está fechada e a abertura do Salão de Abril começa logo mais, às 19h, no Centro de Referência do Professor, no Centro. Sem mais adiamentos e postergações, o evento compensa o tempo de espera e se expande pelos quatro cantos de Fortaleza, ficando em cartaz até o próximo dia 23 de novembro.Além do Centro de Referência do Professor, essa edição do Salão de Abril ocupa a Vila das Artes, o Sobrado Dr. José Lourenço, o Centro Cultural do Bom Jardim e, a maior inovação, os terminais do Siqueira e do Papicu. A extensa programação e o novo formato que busca a democratização da arte através da tomada dos espaços públicos foram as causas dos constantes atrasos.“A nossa estrutura esse ano é imensa. A diferença em relação ao ano anterior é abissal”, afirma Maíra Ortins, uma das organizadoras do evento. “Colocar obras em espaços públicos não é simples, exige muito planejamento, muita simulação. Temos que considerar também todo o embate social, ideológico e de pensamento nessa ação”, pondera. Tudo isso levou tempo e a escolha dos terminais para integrarem o Salão foi, segundo Maíra, uma opção óbvia. “Os terminais são essencialmente lugares de passagem inseridos no contexto urbano da cidade, então a escolha foi natural”.Os passageiros do Papicu e do Siqueira estão tendo, assim, um contato mais próximo com a arte contemporânea produzida no País. “Visitamos cada terminal, estudando o espaço disponível”, revela Maíra. “Chegamos ao Siqueira porque ele tem uma melhor estrutura, com praça e um ambiente de convívio. Já o Papicu, apesar de não ter essa facilidade de estrutura, é o terminal com maior fluxo de passageiros”. Dois locais geograficamente distantes unidos em prol da disseminação da arte.
















Estranhamento estético










Com trabalhos de 45 artistas, sendo 19 cearenses, o 59º Salão de Abril traz entre as obras expostas desenhos, esculturas, gravuras, instalações, fotografias, objetos, pinturas, performances, intervenções urbanas e vídeo-arte, apresentando, assim, um painel do que é feito atualmente em termos de arte contemporânea. “É difícil, atualmente, falar em inovação na arte. A arte tem se renovado e está em constante recriação, mas é complicado, hoje, ver algo que realmente choque”, acredita Maíra.“Vivemos em uma época na qual o público está inundado por imagens e informações que deveriam, mas não chocam mais”, lamenta. “Então o objetivo do Salão de Abril não é causar um estranhamento pela estética em si, mas sim pela inserção das obras em espaços públicos incomuns. As obras não foram feitas para a exibição em terminais, vai ser daí que surgirá o estranhamento”.Até o próprio Centro de Referência do Professor está diferente para receber o Salão de Abril e passou por uma nova estrutura que foge do conceito de salão tradicional. Com amplo espaço aberto, não há portas ou salas separando as obras, criando uma ambientação própria ao local. Enquanto isso, na Galeria Antônio Bandeira, acontece exposição das obras vencedoras da edição passada.Dando continuidade ao caráter nacional adotado na edição do ano passado, o Salão de Abril, uma realização da Prefeitura de Fortaleza, através da Secultfor, tem como papel primordial discutir a arte, seja apresentando novos nomes, ou exibindo obras de artistas já conhecidos. “Vivemos em um mundo globalizado e a arte tem uma compreensão diferente de território. A nacionalização do evento é um processo natural”, explica Maíra.Ainda que com alguns meses de atraso, o Salão de Abril reafirma sua importância para a população de Fortaleza. Mais do que um evento de artes visuais feito para artistas, o Salão de Abril deixa claro a intenção de inserir a população no contexto da arte. Demorou, mas parece que a espera tem tudo para valer a pena.




PROGRAMAÇÃO59º SALÃO DE ABRILEXPOSIÇÕES: De 14 de outubro a 23 de novembro, no Centro de Referência do Professor (Rua Conde D´Eu, 560, Centro) e nos terminais de ônibus do Siqueira e do Papicu.Horário de visitação: Segunda a sexta das 8h às 20hSábados: 8 às 15h30Nos Terminais, a visitação acontece diariamente e sem limitação de horário.


ENTREVISTAS PALESTRASEntrevista: ´A arte contemporânea e o artista multimídia´, com Paulo Bruscky (Recife), 16 de outubro, às 19h, na Vila das Artes (Rua 24 de Maio 1221, Centro)Palestra: ´Arte: Desejo e Resistência´ (filosofia da estética), com Prof. Paulo Oneto (Rio de Janeiro), 18 de outubro, às 19h. no Sobrado Dr. José Lourenço (Rua Major Facundo, 154, Centro)Prévias: ´Repensando as Políticas Públicas para o Sexagenário Salão de Abril´, com a Secretária de Cultura de Fortaleza, Fátima Mesquita e o artista José Tarcisio, 23 de outubro, às 19h, na Vila das ArtesEntrevista: ´Olhares, a fotografia de Tiago Santana´, com o próprio Tiago Santana (Fortaleza), 28 de outubro, às 19h, na Vila das ArtesEntrevista: ´Direito autoral do artista plástico´, com Humberto Cunha (Fortaleza), 30 de outubro, às 19h, Vila das Artes


MINICURSOS ´O Ensino da arte contemporânea´, com Mirca Bonano (RJ), de 3 a 8 de novembro, das 8h às 12h, e sábado, das 14h às 17h, na Vila das Artes´Pintura Contemporânea´, com Paulo Pasta (SP), 19, 20 e 21 de novembro, das 9h às 12h e das 14h às 17h, no Sobrado Dr. José Lourenço.



OFICINAS Argila, com Daniel Maillet (SP), de 10 a 14 de novembro, das 14h às 17h, no Centro Cultural do Bom Jardim (Rua Três Corações, 400, Bom Jardim)Desenho, com Júlio Camarero (Fortaleza), de 17 a 21 de novembro, das 8h às 12h, no Sobrado Dr. José Lourenço



FÁBIO FREIRE

Repórter

Mais informações:Abertura do 59º Salão de Abril, às 19h, no Centro de Referência do Professor, na Rua Conde D´Eu, 560, Centro. Toda a programação do 59º Salão de Abril é gratuita. É necessário inscrição prévia para as oficinas e minicursos (3246.2708).www.salaodeabril.org.
fonte: Diario do Nordeste

Nenhum comentário:

Fale conosco e tenha sua publicidade