Ocorreu um erro neste gadget
clique e alimente os peixes

Secult anuncia novo orçamento


Embora ainda não haja uma data para o lançamento do Edital de Incentivo às Artes e do Edital Ceará de Cinema e Vídeo, o secretário da Cultura do Ceará, Auto Filho, convocou uma coletiva de imprensa para apresentar as quantias previstas para o financiamento de projetos culturais do Estado. De acordo com o secretário, o teto estabelecido pelo governador Cid Gomes como limite de depósito de empresas que a Secult poderá receber em troca de renúncia fiscal é de R$ 16 milhões, através do Fundo Estadual da Cultura (Fec). Destes, R$ 3 milhões financiarão o Edital de Incentivo às Artes e outros R$ 3,2 milhões serão utilizados para a realização de projetos ligados ao audiovisual, através do Edital Ceará de Cinema e Vídeo.

A seleção via edital ainda não tem data de lançamento. Segundo Auto Filho, o dinheiro já está disponível para o Estado. “Vamos negociar com o governador para que esse teto chegue a R$ 20 milhões”, aposta o secretário. O Fec disponibilizará ainda recursos para financiamento de demandas espontâneas, como lançamento de livros, festivais e outros editais como o de carnaval, o Ceará Junino, Natal e Ceará da Paixão. O secretário aproveitou a ocasião para frisar o financiamento de outros projetos com recursos próprios da Secult, como o investimento de R$ 150 mil para livros relacionados ao teatro, uma demanda vinda da própria categoria.

“O edital das artes contou com uma grande discussão junto aos fóruns e associações de cada setor”, aponta o secretário, referindo-se às organizações que reúnem realizadores de cada área. Englobando sete áreas - música, artes visuais, circo, dança, teatro, literatura e fotografia -, os editais ainda não têm definição dos valores para cada linguagem artística. De acordo com o secretário, serão obedecidas as demandas apontadas pelos artistas nos encontros realizados entre a Secretaria e as associações.

“Para compensar o fato de não ter havido lançamento de edital na aérea do audiovisual ano passado, vamos disponibilizar a maior quantia para o financiamento de cinema que o Estado já teve”, descreve Auto Filho, baseando-se no valor de R$ 3 milhões anunciados para a área, contra os R$ 2,3 milhões do último edital. O secretário garantiu que os valores de cada área do edital serão definidos até próxima sexta, 7. “Não será uma distribuição em partes iguais, mais equitativas, referentes às necessidades de cada área”, aponta.

A prioridade, segundo o secretário, são as necessidades que os próprios artistas apontaram, desde a formação, manutenção de grupos, realização de exposições, etc. “A diferença do nosso financiamento é que a maior quantidade de dinheiro não vem do mecenato direto (renúncia fiscal com o financiamento da atividade artística escolhida pela empresa), mas vem do Fundo. Isso possibilidade uma divisão mais igualitária e justa dos recursos”, aponta Auto Filho, acrescentando que o mecenato é responsável hoje por R$ 380 mil em financiamento por mês e a meta é que ele alcance R$ 600 mil.
Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Fale conosco e tenha sua publicidade