Ocorreu um erro neste gadget
clique e alimente os peixes

Foto - Pintura - Exposição de Telma Saraiva

A exposição apresenta séries de fotografias e foto-pinturas diferenciadas por temas como casamentos, formaturas, 15 anos, médicos, religiosos, crianças e filhos, além de fotos esquecidas no "Studio Saraiva". As fotos são acompanhadas por um áudio com depo4/12/2009Especialista em foto-pintura, técnica quase extinta, a fotógrafa Telma Saraiva expõe parte de sua produção artística em mostra no CCBNBAntes mesmo de Cindy Sherman, fotógrafa famosa pela produção de imagens conceituais durante a segunda metade do século 20, ou ainda do aparecimento do "milagroso" Photoshop, a cearense Telma Saraiva difundia sua arte pelas casas das famílias no sertão do Cariri.Influenciada pelo pai, fotógrafo e cinéfilo de carteirinha, Telma não resistiu, "caiu de amores" pelo universo das imagens. Fugindo de convencionalismos, a menina passou a se dedicar a foto-pintura."Eu colecionava uma revista chamada A Cena Muda e um dia, numa das edições, vi um anúncio de uma tinta americana própria para fotografia. Então, pedi para meu irmão escrever uma carta em inglês e encomendar as tintas. Eu devia ter uns 16 anos quando comecei a pintar. A princípio, fazia só para as minhas colegas e professores", diz Telma.Unindo o talento de fotógrafa com o de pintora, Telma transformava as fotos em verdadeiras obras de arte. Ela produzia cenários, figurinos e maquiagem para as sessões de foto.Depois, retocava as imagens mas, sem trair a veracidade dos traços. O acabamento era perfeito. "Aprendi com o meu pai que ninguém quer sair feio nas fotos. Então, ele me ensinou a iluminar e a observar bem o rosto das pessoas. Só com a iluminação já dava para observar e eliminar algumas imperfeições".


Exposição




Na exposição "Busca", com curadoria de Franklin Lacerda, o público terá a chance de conhecer um pouco mais do trabalho de Telma Saraiva.A mostra traz um recorte de sua produção comercial em fotografia e foto-pintura. As imagens foram produzida nas décadas de 1960, 70 e 80, revelando a poética dessa artista que não economizou esforços na tentativa de embelezar os retratos dos seus clientes, aproximando-os da pintura.Segundo Franklin Lacerda, a exposição é uma sequencia de um projeto seu, que já possui dois anos de pesquisa."Estava fazendo um documentário sobre o ´Stúdio Saraiva´ quando surgiu a ideia de realizar uma individual com os trabalhos de Dona Telma. A exposição tem por objetivo resignificar o trabalho da artista, a partir de depoimentos dos retratados ou de seus familiares", explica o curador.A exposição "Busca" apresenta séries de fotografias e foto-pinturas diferenciadas por temáticas, como casamentos, formaturas, 15 anos, médicos, religiosos, crianças e filhos, além de fotos esquecidas no "Stúdio Saraiva". As imagens estão acompanhadas por um áudio com depoimentos de clientes que expõem diferentes relações entre eles e as fotos exibidas.




Estruturação




As fotografias formam configurações aleatórias, onde incide uma luz recortada sobre a imagem, deixando as molduras originais na penumbra. Além disso, conta com a presença de um livro contendo as imagens e depoimentos colhidos durante todo o processo de construção da mostra.O músico Clayton Barros, integrante da banda pernambucana Cordel do Fogo Encantado, foi quem produziu a ambiência de som, transformando a exposição em uma experiência de cunho audiovisual. "Todo o trabalho de Dona Telma tem uma carga afetiva muito grande. A memória é outro elemento vivo em suas fotos. Lembro que uma das pessoas entrevistadas me disse emocionada, que quando visualiza a imagem de sua mãe, o que lhe vem primeiro à mente é a foto que a artista fez dela", diz Clayton.A exposição segue em cartaz até o dia 30 de dezembro, no CCBNB de Fortaleza. Em seguida vai para o centro cultural de Souza. Apresenta também uma versão virtual (http://www.telmasaraiva.wordpress.com.br/).




Foto e pintura




Talento da terra



Telma Saraiva, filha e mulher de fotógrafo, começou a se interessar por fotografia e cinema na década de 1940. Seu pai era fotógrafo na cidade de Crato (no sul do Estado), e a incentivava a frequentar os cinemas da cidade. Telma Saraiva colecionou revistas sobre o assunto e descobriu a técnica de colorir fotografias. Sua obra, até então nunca mostrada, foi descoberta recentemente por Titus Riedl, fotógrafo e pesquisador alemão radicado no Cariri, e ganhou exposição de "Retrato Popular" no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, e na Pinacoteca do Estado, em São Paulo, em 2006.
Mais Informações:Mostra individual de Telma Saraiva, com curadoria de Franklin Lacerda, no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - 2º andar). Contatos: (85) 3464.3108. Gratuita. Em cartaz até o dia 30 de dezembro, de terça a sábado, de 10h às 20h e aos domingos, de 10h às 18h.





ANA CECÍLIA SOARES
REPÓRTER


Fonte: Cariricaturas

Nenhum comentário:

Fale conosco e tenha sua publicidade